Desde que o IPMA, em conjunto com a AEMET e a Météo-France decidiram nomear as depressões de Inverno, tem havido muita confusão e muito “caos” devido a essa situação

Primeira importa clarificar: Assim que um destes organismos, IPMA (Portugal), AEMET (Espanha) ou Méteo-France (França) ativa um aviso laranja devido a uma depressão deve nomeá-la, e informar as outras agências dessa nomeação, que por sua vez emitem um comunicado

Isso causa alguma confusão, pois no dia 28\01\2019 a Météo-France nomeou a depressão “Gabriel”, que iria afetar o oeste Francês, e o IPMA para cumprir o acordado emitiu comunicado acerca dessa nomeação

Rapidamente a comunicação social, no sensacionalismo habitual, levou muita gente a crer que essa depressão iria afetar Portugal de forma significativa, o que não era verdade

Fica a lista de nomes de tempestade para o ano 2019\2020, e depois um pouco mais sobre o que é uma depressão\tempestade\ciclone

Imagem

DIFERENÇAS ENTRE TEMPESTADE\CICLONE\DEPRESSÃO

Estas 3 expressões são frequentemente usadas, e por vezes mal usadas, em especial na comunicação social, mas afinal o que quer dizer cada uma delas?

Ciclone\Depressão trata-se da mesma coisa, um sistema de baixas pressões, com circulação contrária aos ponteiros do relógio, no entanto nem todos os ciclones\depressão podem ser considerados tempestades

A definição de tempestade, ao contrário da definição de ciclone\depressão, é mais subjetiva, visto que depende da interpretação de cada um do que é uma “tempestade” e o que é tempo normal de Inverno

O problema é que na comunicação social, sempre que há uma nomeação de uma depressão, acabam por usar o nome “tempestade”, e isso causa pânico na população

 

PORQUE RAZÃO SE NOMEIAM TEMPESTADES?

A razão é simples, apenas para facilitar a transmissão de informação, e para ficar registada e lembrada mais facilmente

Como já referi isso tem pontos positivos e negativos, porque sempre que há uma nomeação as pessoas ficam preocupadas, por vezes sem razão

Por favor leiam sempre as informações das notícias, e vejam os avisos emitidos para verificarem se realmente é uma situação que requer atenção

Para terminar, deve-se dizer também que as “tempestades” nomeadas na Europa são tempestades “de Inverno” e tendencialmente muito menos perigosas que as tempestades nomeadas pelo National Hurricane Center, ou seja ciclones tropicais, esses sim com um poder de devastação enorme, que ocorrem entre Junho e Novembro

Esses ciclones tropicais são extremamente raros nas águas Portuguesas, e a ocorrer serão mais prováveis nos Açores

No entanto o Leslie lembrou-nos que essa possibilidade existe, embora MUITO pouco provável

Um ciclone de origem tropical tem características distintas, e normalmente é muito mais perigoso em termos de precipitação, com chuvas torrenciais, assim como ventos que podem variar entre intensidade semelhante a uma tempestade de Inverno em Portugal, até ventos de intensidade de um tornado moderado… com dimensões de muitos kms

Formam-se habitualmente na costa de África, Golfo do México, eventualmente alguns no Atlântico Central

No Oceano Pacífico também existem, e denominam-se de “tufões” sendo que um tufão e um furacão são a mesma coisa, só mudando o nome

 

CICLOGÉNESE EXPLOSIVA

O nome ciclogénese explosiva é dado a uma depressão cuja pressão central caiu mais de 20hPA em menos de 24h

O nome é uma mistura das palavras “ciclone” e “génese”, ou seja “formação de um ciclone”

A palavra explosiva é dada pelo facto de ser muito rápida a sua formação

Esta situação é comum no Atlântico, muitas deles afetam território Continental, no entanto passando quase sempre o núcleo a Norte

Esta situação não quer dizer que a situação é “alarmante”, pois há muitos outros fatores determinantes, como campo isobárico, distância do núcleo a um local, etc etc

No entanto no passado já ocorreram situações de ciclogénese explosiva com consequências graves no Continente, como o caso do “Gong” ou “Xynthia”