Especial episódio de calor entre 4 a 7 de Julho: Calor MUITO INTENSO, valores de temperatura muito acima da média

Especial episódio de calor entre 4 a 7 de Julho: Calor MUITO INTENSO, valores de temperatura muito acima da média

No próximo fim-de-semana o padrão meteorológico aponta para a presença de uma massa de ar muito quente

Se no Sábado a nortada impedirá a chegada do calor ao litoral, no Domingo o calor chega também ao litoral, embora seja provável que mais junto ao mar ainda o vento norte impeça o calor mais extremo, mas bem mais quente ainda assim

Valores máximos? Diria que junto ao mar há incerteza, mas estará calor. Dependendo da posição do anticiclone pode vir a atingir mais de 30 graus, mas aí é a maior incerteza, com variações de 3 a 5 graus entre cada atualização dos modelos meteorológicos

No Interior valores até 41-44 graus são possíveis

Esta situação levará também a mínimas tropicais em muitos locais

Assim fica imagem da carta de pressão e geopotencial (Modelo UKMO), e valores máximos previstos pelo modelo GFS para esses dias

Assim como também uma análise do vento e risco de incêndio para dias 6 e 7

Modele UKMO - Carte prévisions


O vento no Sábado deve marcar presença de Norte, domingo mais de leste pela manhã, devendo para a tarde rodar para Norte no litoral

Modele GFS - Carte prévisions

Modele GFS - Carte prévisions


Nos dias 6 e 7 o vento será mais de leste e a nortada aparecerá menos

Haverá muito sol

Pode haver um período de vento intenso na madrugada de Terça, de leste, no Interior Norte, e no Centro e Sul de Oeste de tarde… Isto devido a uma depressão em aproximação

Modele GFS - Carte prévisions

Modele GFS - Carte prévisions


Elevado RISCO de incêndios florestais, principalmente no litoral no Sábado e Domingo, com nortada, mas no Interior o risco aumenta no início da semana com lestada

Temperaturas muito elevadas\humidades baixas


Assim, para SÁBADO é quase certo que a nortada ainda existirá, e o litoral ficará um pouco de parte do calor

Embora já com temperaturas mais altas

No Interior já supera, possivelmente, localmente, os 40 graus


No DOMINGO os valores são incertos, mas devem superar os 30 no litoral, e os 35 ou perto disso em Porto e Lisboa

No Interior podem chegar a 40 graus em muitos locais, e mesmo valores entre 41 a 44 graus em alguns locais

Mais provável será 43\44 graus nos pontos mais quentes segundo as últimas tendências nos modelos

Este calor deve prolongar para SEGUNDA E TERÇA havendo incerteza no litoral


Assim para este fim-de-semana e início da próxima semanarecomenda-se que sigam as seguintes orientações da DGS

Para a prevenção dos efeitos do calor intenso recomendam-se as seguintes medidas:

  • Aumentar a ingestão de água, ou sumos de fruta natural sem adição de açúcar, mesmo sem ter sede.
  • As pessoas que sofram de doença crónica, ou que estejam a fazer uma dieta com pouco sal, ou com restrição de líquidos, devem aconselhar-se com o seu médico, ou contactar a Linha Saúde 24: 808 24 24 24.
  • Evitar bebidas alcoólicas e bebidas com elevados teores de açúcar.
  • Os recém-nascidos, as crianças, as pessoas idosas e as pessoas doentes, podem não sentir, ou não manifestar sede, pelo que são particularmente vulneráveis – ofereça-lhes água e esteja atento e vigilante.
  • Devem fazer-se refeições leves e mais frequentes. São de evitar as refeições pesadas e muito condimentadas.
  • Permanecer duas a três horas por dia num ambiente fresco, ou com ar condicionado, pode evitar as consequências nefastas do calor, particularmente no caso de crianças, pessoas idosas ou pessoas com doenças crónicas. Se não dispõe de ar condicionado, visite centros comerciais, cinemas, museus ou outros locais de ambiente fresco. Evite as mudanças bruscas de temperatura. Informe-se sobre a existência de locais de “abrigo climatizados” perto de si.
  • No período de maior calor tome um duche de água tépida ou fria. Evite, no entanto, mudanças bruscas de temperatura (um duche gelado, imediatamente depois de se ter apanhado muito calor, pode causar hipotermia, principalmente em pessoas idosas ou em crianças).
  • Evitar a exposição directa ao sol, em especial entre as 11 e as 17 horas. Sempre que se expuser ao sol, ou andar ao ar livre, use um protector solar com um índice de protecção elevado (igual ou superior a 30) e renove a sua aplicação sempre que estiver exposto ao sol (de 2 em 2 horas) e se estiver molhado ou se transpirou bastante. Quando regressar da praia ou piscina volte a aplicar protector solar, principalmente nas horas de calor intenso e radiação ultravioleta elevada.
  • Ao andar ao ar livre, usar roupas que evitem a exposição directa da pele ao sol, particularmente nas horas de maior incidência solar. Usar chapéu, de preferência, de abas largas e óculos que ofereçam protecção contra a radiação UVA e UVB.
  • Evitar a permanência em viaturas expostas ao sol, principalmente nos períodos de maior calor, sobretudo em filas de trânsito e parques de estacionamento. Se o carro não tiver ar condicionado, não feche completamente as janelas. Levar água suficiente ou sumos de fruta naturais sem adição de açúcar, para a viagem e, parar para os beber. Sempre que possível viajar de noite.
  • Nunca deixar crianças, doentes ou pessoas idosas dentro de veículos expostos ao sol.
  • Sempre que possível, diminuir os esforços físicos e repousar frequentemente em locais à sombra, frescos e arejados. Evitar actividades que exijam esforço físico.
  • Usar roupa larga, leve e fresca, de preferência de algodão e em conformidade com a Circular Informativa n.º 23/DA de 02/07/2009.
  • Usar menos roupa na cama, sobretudo quando se tratar de bebés e de doentes acamados.
  • Evitar que o calor entre dentro das habitações. Correr as persianas, ou portadas e manter o ar circulante dentro de casa. Ao entardecer, quando a temperatura no exterior for inferior àquela que se verifica no interior do edifício, provocar correntes de ar, tendo em atenção os efeitos prejudiciais desta situação.
  • Não hesitar em pedir ajuda a um familiar ou a um vizinho no caso de se sentir mal com o calor.
  • Informar-se periodicamente sobre o estado de saúde das pessoas isoladas, idosas, frágeis ou  com dependência que vivam perto de si e ajudá-as a protegerem-se do calor.
  • As pessoas idosas não devem ir à praia nos dias de grande calor. As crianças com menos de seis meses não devem ser sujeitas a exposição solar e deve evitar-se a exposição directa de crianças com menos de três anos. As radiações solares podem provocar queimaduras da pele, mesmo debaixo de um chapéu-de-sol; a água do mar e a areia da praia também reflectem os raios solares e estar dentro de água não evita as queimaduras solares das zonas expostas. As queimaduras solares diminuem a capacidade da pele para arrefecer.
lusometeopt

Felgueiras

Os comentários estão fechados.

Atualmente estás offline

Voltar