Informação especial #3: Furacão Lorenzo, Açores

Informação especial #3: Furacão Lorenzo, Açores

No momento da escrita deste artigo (17h, 28\09\2019) o furacão Lorenzo mantém a sua intensidade nos 185km\h de vento médio, com rajadas superiores (220km\h)

Mantém o deslocamento para Noroeste, devendo mais tarde curvar para Nordeste em direção aos Açores onde chegará DIA 2 DE OUTUBRO

As recentes imagens de satélite mostram um ciclone “saudável”, sem sinais de enfraquecimento pelo que até à chegada aos Açores, com condições razoáveis nas próximas 48 horas perderá pouca força, ou terá oscilações, podendo perder um pouco, ganhar um pouco, nada muito significativo, devendo depois à medida que chega aos Açores interagir com uma perturbação a Norte que o poderá intensificar um pouco mais dependendo da forma como interagir, bastante imprevisível

Assim e segundo as últimas atualizações dos modelos numéricos o ciclone deverá passar muito perto do grupo Ocidental (O seu centro), mais uns kms para Oeste ou para Leste, ainda algo incerto (e será algo que irá definir as ilhas mais afetadas que infelizmente não é possível dizer ao certo ainda)

Assim é seguro no entanto dizer

  • Grupo Ocidental: Rajadas de vento até 150km\h, podendo superar os 180km\h caso o ciclone se encontre mais em cima das ilhas, ou mais a Oeste das mesmas. Valor de 140km\h parece para já “garantido”… Chuva forte, até 100mm’s\12 horas, o que pode provocar inundações e deslizamentos de terra, e ondas até 15 metros

  • Grupo Central: Rajadas de vento até 160km\h, podendo superar os 180km\h caso o ciclone tenho o seu núcleo ligeiramente mais a leste que a maioria das previsões atuais. Chuva pontualmente forte sob a forma de aguaceiros, no geral. Ondas até 20 metros

  • Grupo Oriental: Rajadas de vento até 100km\h. Previsão mais certa, não devendo sofrer grande alteração, apenas pode alterar alguns km\h possivelmente dependendo da posição final do ciclone. Sem previsão de muita chuva, mas podem ocorrer aguaceiros fortes. Ondas até 10 metros

Maré de tempestade nas ilhas Ocidentais e Centrais que pode causar problemas sérios nas zonas costeiras

O ciclone poderá chegar como furacão de categoria 2 (Embora a intensidade final possa variar entre 1 e 3, incerto), na escala de Saffir-Simpson

Os danos prováveis para esta categoria segundo a mesma escala são quebra de janelas, portas e telhados de casas, podendo ser arrancadas árvores com a força dos ventos, danos na agricultura, embarcações ancoradas junto à costa podem ser afetadas e há a possibilidade de inundações em zonas costeiras

É de esperar que entre o meio do dia 1 de Outubro e o meio de dia 3 de Outubro vários vôos e travessias marítimas sejam canceladas

O modelo IFS, geralmente o mais fiável coloca a passagem do núcleo sobre o grupo Ocidental, fazendo com que esse grupo, e as ilhas mais ocidentais do grupo Central sejam as mais afetadas

Os ensembles têm agora mais confiança que esse poderá ser o cenário MAS ainda há incerteza e não é de descartar que outras ilhas possam ser mais afetadas

lusometeopt

Felgueiras

Os comentários estão fechados.

Atualmente estás offline

Voltar