Certamente já ouviu falar em superfícies frontais, ou “frentes frias” ou “frentes quentes”, mas afinal do que se trata?

E o que é um “Pós-frontal”? Porque razão há trovoadas (muitas vezes) no pós frontal?

Continue a ler para as respostas 🙂

 

Para começar, uma frente marca uma “barreira” entre duas massas de ar

Se o ar frio estiver a avançar em direção ao ar quente chamamos frente fria, se for o contrário chamamos de frente quente

Uma frente fria normalmente é marcada em cartas meteorológicas por triângulos, enquanto uma frente quente se marca com círculos

Uma frente oclusa por sua vez é uma frente em que nenhuma das massas de ar se está a mover, e é normalmente marcada em cartas meteorológicas com triângulos e círculos

As frentes estão associadas a sistemas de baixas pressões

 

FRENTE QUENTE

Uma frente quente é marcada por uma situação em que uma massa de ar quente lentamente se move e sobe, pois é mais leve e menos denso que o ar frio, formando nuvens e formando precipitação normalmente contínua

Aumento da humidade, nevoeiro, subida da temperatura são algumas das coisas que normalmente ocorrem com a chegada de uma frente quente

 

FRENTE FRIA

Uma frente fria é marcada por uma situação em que o ar frio rapidamente se move para leste e substitui o ar quente

Com a passagem de uma frente fria, e dependendo da intensidade, poderá haver a ocorrência de precipitação forte

A diferença de temperaturas entre as massas de ar são um dos indicadores que “definem” a força de uma frente

Com a passagem da frente a temperatura tende a descer rapidamente, podendo mesmo descer 5 graus, ou mais, numa questão de minutos

 

FRENTE OCLUSA

Esta situação ocorre quando uma frente fria “alcança” uma frente quente, o que é relativamente comum, visto que uma frente fria tende a deslocar-se muito mais rapidamente que uma frente quente

Aí diz-se que a frente ficou “oclusa”

Normalmente esta situação provoca chuvas fortes e vento também forte, e tem tendência a enfraquecer gradualmente

 

PÓS-FRONTAL

Trata-se de uma situação “clássica”, com a passagem de uma frente fria, com a descida abrupta da temperatura

Em grande parte das situações poderão ocorrer condições de instabilidade, com ocorrência de aguaceiros

Se a instabilidade for elevada poderão ocorrer trovoadas, e se for muito elevada podem mesmo ocorrer fenómenos mais extremos, como rajadas severas e outros fenómenos extremos (Mais raramente)

Gradualmente as condições vão melhorando

Normalmente em situações de pós-frontal o padrão característico é abertas e aguaceiros por vezes fortes e repentinos