Esta noite (10\12\2018) assistimos a temperaturas que se calhar surpreendem aqueles que não estão muito por dentro do assunto da meteorologia

A temperatura mínima foi de cerca de 15 graus em Portalegre, ou Fóia, e mesmo na Serra da Estrela a temperatura quase não baixou de 10º

Por outro lado em locais a baixa altitude, incluindo Aljezur a poucos quilómetros de Fóia, a temperatura quase chegou a valores negativos…

A explicação? Leiam o artigo para todos os detalhes 🙂

 

O QUE É UMA “INVERSÃO TÉRMICA”?

Em situações “normais” a temperatura desce conforme a altitude aumenta

Esta descida é de cerca de 0,4 a 0,7º por cada 100 metros, normalmente

Mas, por vezes, ocorre “inversão térmica”, em que a temperatura nos locais mais baixos está significativamente mais baixa que nos locais em altitude, invertendo assim o que normalmente sucede

Em Portugal este fenómeno ocorre maioritariamente em noites de céu limpo, em que, na ausência de vento, o ar em locais mais baixos, e particularmente em locais de Vale, a temperatura desce significativamente

É comum num local estarem digamos 10º, e num local poucos quilómetros ao lado, a temperatura ser 0º, ou mesmo negativa

Isto acontece frequentemente em situações de tempo estável, anticiclónico, devido à ausência de vento, em que o ar frio efetivamente fica “preso” nas camadas mais baixas da atmosfera e o ar quente fica mais acima

 

QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS?

As consequências das inversões térmicas são a formação de geadas por vezes intensas, devido a temperaturas mínimas muito baixas, e, esta consequência mais séria, a poluição que fica “presa” nas camadas baixas da atmosfera, ao contrário do que acontece normalmente os poluentes não se dispersam e ficam concentrados num determinado local, provocando facilmente uma degradação muito significativa da qualidade do ar

Dependendo da inversão, e do padrão sinóptico, a temperatura por vezes desce abaixo do ponto de orvalho podendo causar nevoeiros

Durante o dia no entanto nestes locais, em situações de céu limpo, a temperatura irá subir mais que nos locais mais altos, voltando novamente à normalidade, sendo que por vezes chegam a registar-se até 20 graus, por vezes mais, de diferença entre a mínima e a máxima num determinado dia

Se depois de uma noite de céu limpo, com inversão térmica surgirem nuvens o dia poderá ser muito frio, e se surgir precipitação poderá ocorrer o fenómeno de “chuva congelante”, isto porque o ar acima está mais quente e por isso não há ar frio em altitude para nevar, no entanto a chuva congela no contacto com as superfícies frias no solo

 

É POSSÍVEL PREVER A INVERSÃO TÉRMICA

Sim, em grande parte sim

Em situações de anticiclone, com céu limpo, e vento nulo, é muito provável que uma inversão térmica possa ocorrer

Há sempre locais com maior tendência para isso acontecer, nomeadamente zonas de vale

Há também outros tipos de inversão térmica (Este tipo chama-se “inversão de radiação”) no entanto são menos comuns. Um exemplo seria por exemplo um forte aguaceiro durante um período de instabilidade, que pode fazer descer a temperatura bruscamente devido a descida de ar frio dos níveis mais altos para os níveis mais baixos da atmosfera