DEPRESSÃO LAURA: ANÁLISE DO EVENTO

DEPRESSÃO LAURA: ANÁLISE DO EVENTO

A depressão Laura, nomeada pela AEMET, afetou Portugal Continental com uma superfície frontal associada, que provocou chuva pontualmente forte e vento com rajadas fortes

Após a passagem da frente ao longo da madrugada passou a aguaceiros pós-frontais, com ocorrência de trovoada esporádica, e com rajadas de vento localmente fortes

No geral a situação ficou um pouco aquém do previsto pelos diversos modelos numéricos de previsão, tendo acumulado menos chuva que o previsto tanto a Norte como a Sul

A sul do Tejo foi uma “miséria”, acumulando muito pouco, praticamente não choveu em alguns locais, e essa região é a que mais necessita de chuva

Em Lisboa e Vale do Tejo cairam localmente 15 a 20mm’s, choveu moderadamente por vezes, uma pequena, muito pequena, ajuda na luta contra a seca

No Interior Norte\Centro também não choveu muito, embora aqui localmente haja acumulados até 30mm’s

No litoral Norte e Centro aí sim o evento acabou por ficar mais ou menos dentro do previsto com alguns locais a chegar aos 60\70mm’s de acumulado só ontem, mais um pouco hoje

O vento localmente soprou com rajadas até 90km\h, pontualmente superiores

Quanto a trovoadas houve ocorrência de alguma trovoada dispersa, no entanto também bastante menos que o previsto inicialmente

A neve apareceu como previsto pela madrugada na Serra da Estrela, pintando já a serra de branco, e vai descer a cota para 1200m ao longo do dia

Ficam algumas imagens de radar, acumulados de precipitação e descargas elétricas que ajudam a exemplificar a situação

Foi, de facto, uma situação um pouco mal prevista…

lusometeopt

Felgueiras

Os comentários estão fechados.
Voltar