RESUMO DO INVERNO 2018\2019

RESUMO DO INVERNO 2018\2019

Este Inverno meteorológico 2018\2019, com início a 1 de Dezembro, e que termina neste dia 28 de Fevereiro, dando lugar à Primavera, fica marcado pela precipitação abaixo da média em todo o território, e por temperaturas acima da média

Destaca-se no entanto um período bastante frio em Janeiro, em especial na primeira quinzena, e em especial noites frias, porque as tardes foram quentinhas devido ao sol que foi presença constante

No entanto destaca-se que em zonas de Vale em Janeiro houve alguns locais onde o nevoeiro não dissipou e houve até máximas negativas em locais como Mirandela, por exemplo

Em resumo temos:

  • DEZEMBRO: Mês que iniciou de forma chuvosa, no entanto gradualmente a partir da segunda quinzena tornou-se seco, e até quente, em especial no período do Natal, com máximas por vezes acima de 20º
  • JANEIRO: Mês que foi, no geral, seco, tendo apenas registado alguns dias de precipitação, dos quais se destaca no fim do mês a passagem da depressão Helena, tendo sido um mês normal em termos de temperatura, com períodos mais frios que o normal (primeira quinzena) e períodos mais quentes que o normal (segunda quinzena)
  • FEVEREIRO: Mês muito seco, com quantidades de precipitação inferiores a 1\3 da média em muitos locais, em especial do Centro\Sul, tendo sido também um mês bastante quente, destacando-se a última semana, com temperaturas localmente acima de 25 graus

Foi um Inverno com muito pouca neve, tendo ocorrido apenas alguns episódios, não muito intensos, e nunca a cotas baixas

Este Inverno ficou marcado também por uma quebra do vórtice polar\aquecimento súbito da estratosfera, que no entanto não se traduziu numa mudança de padrão em Portugal Continental, isto devido a outros fatores que anularam o efeito desta situação e impediram a instalação de um padrão NAO-, que nos teria dado certamente a chuva que tanto precisamos

Para lerem mais sobre o que é um aquecimento súbito da estratosfera podem clicar aqui: http://lusometeo.com/aquecimento-subito-da-estratosferavortice-polar-e-seus-efeitos/

Nos Açores o Inverno fica marcado por períodos chuvosos, e períodos mais secos, tendo sido um Inverno globalmente relativamente normal.

Fica marcado nos Açores pela passagem de várias depressões, entre elas “Etienne”, “Julia” e “Kyllian”, esta última a mais recente e a que mais ocorrências provocou, e também por um período frio na segunda quinzena de Fevereiro, com queda de neve a cotas baixas no grupo Ocidental

Na Madeira o Inverno foi globalmente seco, e quente, com temperaturas pontualmente muito elevadas para a época, tal como no Continente

A situação de seca segundo o IPMA no fim de Janeiro afetava praticamente todo o território continental, sendo que cerca de 30% do território encontrava-se em seca moderada, situação que se deve agravar no próximo relatório, relativo a Fevereiro

lusometeopt

Felgueiras

Os comentários estão fechados.
Voltar